terça-feira, 19 de setembro de 2017

Enquadramento de Tortura Psicológica - Formação de Quadrilha e PREMEDITAÇÃO.








A gota d'água - Caso Jéssica
http://ojrbentes.blogspot.com.br/2013/06/narrativa-dos-fatos-ocorridos-na-escola.html


A Farsa do caso Jéssica da Escola São Felipe - Santarém - Pa. Na acusação de ameaça.

Veja os documento, que estão no fim, e conclua você mesmo!

Para que e por que eu ameaçaria a funcionário Jéssica, se eu não precisava de nenhum documento da escola?!
Mais uma prova material. Isto terminou de enquadra o meu caso com de Tortura Psicológica, com agravante de formação de quadrilha e, se for o caso a agravante de incapacidade?!

Como foi que eu peguei uma cópia de uma única frequência minha que restou na escola da 3ª Etapa da Noite?!
Onde estão os outros diários?!

Cheguei a escola entre 12:00 e 12:30, depois de ter ido ao encontro do IDEB, no SEST/Senat ,a Cuiabá.
Ao entrar encontrei três serventes, que me disseram que não havia ninguém da gestão, mas havia uma funcionário da secretaria, me certifiquei de que a escola estava vazia sem nenhum aluno, fui até depois da quadra, e percebi que o muro da escola tinha sido refeito, me encaminhei para secretaria, entreguei uma cópia do meu pronturaio para ser entregue para a técnica Edna, e pedi que a secretária providenciasse o nome e o número de matrícula do professor Antônio, professor este que dava aula no meu lugar antes incluindo aulas de Sociologia, que foram requeridas pela ex-diretora, Odinéia. Sai da escola e fiquei numa mercearia enfrente à escola conversando com o filho do dono e com meu ex-aluno da noite Sandro. Esperei todos os alunos entrarem, assim como último professor. Fui contanto o número de professores que chegavam à escola, o último a entrar foi a esposa do diretor, prof. Francisco, ao qual já havia encaminhado o meu prontuário, que foi entregue na casa do mesmo, antes de dirigir a escola. Antes de sair da escola, logo após ter conversado com a secretária, deixei minha mochila na sal dos professores.


Reunião do "Conselho Escolar" na Quinta Ure


Análise e desmonte da Pseudo Exposição de Motivos no meu "PAD"


Reunião do "Conselho Escolar" na Quinta Ure


Problema da Ata da Reunião marcada em comum acordo na Saljura


Problema do Pagamento dos meus Retroativos

Ridículo essa estoria de que a Odineia não sabe com quem deixou a ficha de lotação!
Liar ! Não foi ela quem entregou na 5ª Ure, foi eu! Ela pegou depois com a desculpa que iria corrigir!
Corrigir o que?!
E outra como ela fez a ficha de lotação sem ter os diários, todos prontos e bem feitos. E as ocrrências em que ela reclamava do atraso dos meus diários!?
Sem noção! É muita cara-de-pau!


Pedido dos atrasados das aulas da noite da Escola São Felipe



Dirarios e Frequências da Escola São Felipe


Frequências das turma da noite da Escola São Felipe - aulas dadas.


Acordo de mudança de carga horaria com a 5ª URE (Frustrado).

OBS.: Ao invés da minha carga horária aumentar para 200 horas como o acordado, ela foi reduzida para 150 hs.
Veja a diferença de carga horaria no COD. 1 - Vencimento Base, diminuiu de 180 para 150 hs.
Onde estão os meu diários da noite do São Felipe?!
Quem está devendo a quem aqui?!

O "problema" da lotação da minha carga horária da noite da Escola São Felipe


Se eu não posso, ainda, provar o início do jogo, no Ministério Público, da data da lotação do São Felipe na 5ª URE não passa.
Por que não pude escolher a minha escola?!
Por me foram negadas as aulas de História Médio, EJA, Sociologia e Filosofia a noite no
São Felipe?!
R: JOGO!
Por que me mandaram para os cafundos do Judas, no Tabocal a noite, território do DEM (partido dos democratas)?!
R: JOGO!
Por que a psicopata da Odinéia mentiu sobre a lotação do porf. Antônio nas turmas da
noite se ele não havia passado no concurso?!
R: JOGO!
Adivinha por que ela pegou as turmas de Sociologia a noite, que eram do Antônio, ficando nos três horários, manhã, tarde e noite na escola?!
R: JOGO!

A Farsa do Caso Jéssica - São Felipe - Acusação de ameça - Impossível - Armação!


A Farsa do caso Jéssica da Escola São Felipe - Santarém - Pa. Na acusação de ameaça.
Veja os documento, que estão no fim, e conclua você mesmo!
Eu ameacei a funcionário para que e por que?! Se eu não precisava de nenhum documento da escola.
Mais uma prova material. Isto poderia se enquadrar com Tortura Psicológica, com agravante de formação de quadrilha e, se for o caso a agravante de incapacidade?!


Prova IFPA sem Plano de Aula (a banca se recusou a receber meu plano de aula)


Pedido de Retirada do Relatório Psico-social do meu PAD - Processo da 5ª URE - Com Erros do Prontuario do Caps

Começando o desmonte e o desentranhamento do pseudo relatório psicosocial do processo da 5ª Ure, sem que eu tivesse a copia do meu processo, e nem muito menos da inicial, sem que eu tivesse ciencia do que eu estava sendo acusado, sem saber quais eram as motivações que me tiraram do São Felipe e me tiraram do Estado, sem terem consciência exato do qual era o meu quadro…
ARGUMENTAÇÃO PARA O PEDIDO DE ANULAÇÃO DO RELATÓRIO
A questão fundamental aqui é a seguinte: Quem avaliou, analisou e concluiu que os vínculos e as relações da minha família nucelar, aqui em Santarém, eram normais?! Onde está o Laudo?!
Vamos, passo a passo, agora dentro do processo, no relatorio:
- Visita ao Centro de Atenção Psicosocial - CAPS II. Quem fez esta visita?! Onde está o documento que comprova a visita?!
"Numa segunda visita ao CAPS estabelecemos um diálogo com o psiquiatra do centro (Quem?!) que nos informou da gravidade da situação  e a necessidade de tratamento medicamentoso e acompanhamento familiar. Argumentação falaciosa, pois tomei e tomo até hoje toda a medicação prescrita. A família acompanhava o "tratamento", desde antes de chegarmos ao CAPS. A minha única intenção de leva-las ao CAPS, era de por a termo, registrar, tudo o que elas diziam, pois as mesmas mentiam copiosamente e eu já estava cansado a única forma de ter prova disto era com um prontuario. Até a data da entra do CAPS foram registradas mais de 500 mentiras da família. Quem precisa de tratamento agora?!

" - Atendimento a família. (Quando e onde?!) - nesta abordagem psicosocial foi realizado o atendimento da Srª Gleicy Diane Santos da Costas, irmã do servidor acima citado, relatou a história de vida da família (como ela pode ter relatado algo sobre mim, se até a vinda para Santarém eu não convivia com minha família nuclear?!) (Qual foi o parecer dela sobre ela mesma e a família?!) explicitando a dificuldade de relacionamento com o servidor e a fragilidade de vínculos familiares (que dificuldade? se eu a levei comigo, na primeira ida ao CAPS. Observe-se que o CAPS se situa na Tv. Dom amando, a quatro quarteirões da minha casa. Quais eram as dificuldades de relacionamento com a relatora, testemunha, antes do caso do CAPS?!) Observe-se que já havíamos ido antes, três vezes ao Dr. Luciano por indicação do Dr. Ruy Guilherme, ambos psicólogos, eu minha mãe, minhas irmãs Gleicy e Glenda, e ainda havíamos idos eu e minha mãe, por minha orientação, ao Dr. Samuel Gueiros, que depois descobri que já atendia minha família.) com todos os membros da família. (Por que a assistente Edileusa não redigiu o texto conforme eu havia orientado: FAMÍLIA NUCLEAR: Mãe, irmãs: Gláucia, Gleicy e Glenda, a outra irmã de criação, Marcela, mora em Manaus e pelo o que eu saiba nunca voltou à STM. Por que?!, e tios Gorete e Domingos. Com o restante da família, que mora em STM, convivo até hoje. No diálogo a irmã informou que seu irmão não aceita o tratamento (Que tratamento?! Qual era e qual é o meu quadro?! Por que o mesmo não está diagnosticado em meu prontuario?!), não frequenta o CAPS e vê os familiares como portadores de algum transtorno. (Como se pode subtrair do próprio prontuario tomei toda a medicação prescrita e tomo até hoje a medicação prescrita pela Dra. Gisele, que me tirou do CAPS. Quem analisou e avaliou minha família como não-portadora de transtornos?! Todas as vezes que fui ao CAPS pegar medicação, fui só e sem o a companhamento de nenhuma de minhas irmãs ou outro familiar.)
Questão inicial da análise do relatório: As "atendentes" Não viram que está escrito na cabeça do meu prontuario: CASO NÃO CAPS?! Como pode-se ver no prontuário no final do arquivo.


Relatório caso Môninca - Funcap - Mais uma jogada das aranhas armadeiras

Fui à Funcap para pegar minha chave de fenda que havia ledao para consertar a porta da sala de aula que havia empenado.
Ao chega converso com o porteiro Drauseli, que estava chegando de férias naquele dia, ele telefona para a administração para trazerem minha chave, o Rapaz chega como a chave,e a enfermeira Mônica o acompanha, ela pergunta o que eu queria lá, a qual respondo que não era do interesse dela. Pergunto a ela se ela havia lido o relatório ela diz que não e me diz que eu estava era com inveja, por ela dar intimidade aos outros. Neste momento chega o monitor, Andrei, que eu havia visto beijando a mão dela e pegando no pescoço, ela procura apoio dela ao qual ele não interage e diz que não tinha nada a ver com aquilo, ela dirige a palavra a mim e utiliza a seguinte frase: você é um retardado e merecia ir preso. Eu a pergunto o que eu tinha feito lá para merecer ir preso, espero uns segundos, ela fica refletindo, se cala e entra na Funcap.

Relatório Funcap – 2009

Primeira reclamação: Da dispensa do monitor: impossível !

Desde a primeira semana de aula, reclamei sobre o regimento e sobre o horário que possuía um brecha entre o segundo e quarto horário, pois os alunos passavam muito tempo na quadra e chegavam na sala de aula suados e dispersos. O horário não foi modificado. Numa quinta feira cheguei adiantado e os alunos estavam na quadra, conversei com um monitor, que estava na quadra, e avisei que iria dar aula. Os alunos demoraram muito para sair da quadra quando a aula foi começar já estava com cerca de meia hora de atraso, subi fiquei na quina da escada esperando eles subirem, e os fiquei vigiando par não causarem bagunça, esperei dez minutos e não apareceu nenhum monitor, então entrei na sala pois alguns já estavam dentro e coloquei os que estavam fora para dentro da sala. Um monitor apareceu, falou comigo na porta e pergunto se estava tudo certo e se eles estavam fazendo bagunça, mas não entrou, iniciei a aula e eles iniciaram uma bagunça, mas logo eles se interessaram pela aula, o Alessandro mexeu em minha bolsa e viu um filme, que estava dentro, e pediu para ver, disse que se eles se comportassem, eu mostraria no final da aula, cerca de meia hora depois um monitor apareceu e entrou na sala, a aula transcorreu normal. No final da aula mostrei o dvd para satisfaze-los. Conversei com os alunos depois da ocorrência e eles não lembraram de eu ter dispensado o monitor.

Segunda reclamação: Em um dia cheguei para o almoço, cedo, o refeitório estava cheio e a cozinheira disse que eu esperasse que depois eu almoçaria, fui para a enfermaria, pois era o local mais calmo mesmo por que a sala de atendimento estava ocupada, ao chegar percebi uma certa intimidade entre um dos monitores, e a enfermeira, ele havia beijado a mão dela e estava pegando no pescoço dela. Fui almoçar e quando terminei voltei par a enfermaria, ela estava escutando música e o monitor veio de novo e tirou a mesma brincadeira com ela, perguntei a ela porque ela estava usando vermelho, se tinha haver com que estava passando na TV, ela perguntou porque. Não respondi e perguntei se eu podia analisá-la, ela respondeu que sim, e comecei a perguntar sobre o que ela tinha assistido na televisão na semana, o que significava o vermelho para ela, se tinha haver com vampiro. Como o sutien dela estava a mostra perguntei se estava combinando, ela disse que era um pergunta muito íntima, encerrei a conversa e continuei a estudar, era dia de prova na ulbra sobre Direito Penal.

Terceira reclamação: acerca da chave de fenda. No dia anterior de aula o Alessandro entrou na sala anterior e pegou alguns objetos, mandei que ele devolvesse, ele ficou com uma semente de pupunha, e estava querendo quebrar, pedi a ele, e quebrei a castanha na dobradiça da porta, ela entortou, combinei que iria consertar no outro dia. No final da aula me dirigi à sala da administração e perguntei se havia alguma chave de fenda lá, a moça de nome Jô, senão me engano, disse que não havia nenhuma, disse a ela que levaria uma de casa no dia seguinte para consertar a porta. No dia seguinte de aula cheguei uma hora, o rapaz que estava na portaria, teve que fazer alguma coisa na cozinha, e não verificou minhas coisas, como ele estava ocupado subi e comuniquei a um rapaz que estava na administração que iria consertar a porta, tentei consertar a porta mas não teve jeito, fui à administração e entreguei a chave ao rapaz. No dia seguinte ao chegar me dirigi de novo à administração e por supresa minha ele me deu uma chave de fenda de cabo laranja e disse que sempre houve aquela chave lá. Tentei consertar a porta de novo, melhorou um pouco mas continuo um pouco empenada, só não dava para fechar com chave, mas dava para fechar na trinca.

Relatorio reuniões - Gleice


“Deixa a gente cuidar de você, daqui a algum tempo nós iremos dar boas risadas sobre tudo isso” louca!!!!!!!!!!!!!!!
Ela nem lembrava que eu tinha morado em Óbidos, que as aulas na professora Zilma não eram de reforço, que não era só nas férias.
Ela não lembrava que a mamãe havia me espancado, e que ela tinha ficado gritando para a mamãe parar de me bater que eu já tinha apanhado do papai, que ela mesma tinha apanhado por ter chamado a mamãe de louca, de ter chorado no dia em que eu fui embora, que ela ficava tirando as minhas coisas da mala quando eu estava arrumando.
Por que minha mãe insistiu tanto em querer dirigir a reunião que eu marquei, havia mais de um ano!?
Por que ela me pediu perdão!? Disse que precisava de mim, e que elas não serviam!?
Como ela iria recuperar o tempo perdido, quando ela voltar do doutorado, se ela vender a casa e vivermos em casas separadas, se morando na mesma casa nós quase não interagíamos. Pois ela não respeitava minha mágoa. Chegou ao cinismo de dizer que eu era ingrato, por não ir ao aniversário dela, tendo ela feito eu perder o aniversário de 15 anos da Glícia, a poucos dias.
Como elas não enxergam que minha mãe é manipuladora e dominadora ao cubo!?

Meus Pseudos Enquadramentos. Tratamento para o que mesmo?!


Eu preciso tomar remédio e fazer tratamento para quais dos quadros?:
Primeiro como pode haver três enquadramentos: Esquizofrenia Paranoide, Transtorno Bipolar e Psicose Não Orgânica no mesmo PAD?!
Segundo como o meu enquadramento de Transtorno Bipolar não está no meu prontuário do CAPS, se o Psiquiatra que o assinou era o mesmo do CAPS?! Esta bipolaridade só teria o polo maníaco?! Quando ocorreu o meu polo depressivo?!


Por que este enquadramento não está no meu prontuário?!

Analise dos erros do meu prontuário do CAPS - Santarém - Pará



1 - Minha idade nasci em 1973, portanto tinha 36 e não 37
Data do prontuário: 22/12/1973 - 28/03/1973 = 36
2 - Se eu fui encaminhado pelo Dr. Luciano, como eu fui "levado" ao CAPS!? na camisa de força?! NÃO fui andando com minhas irmãs, o CAPS fica a 4 quarteirôes da minha casa na Tv. Dom Amando. E isso que já havia ido 2 vezes ao Dr Ruy Guilherme(psicólogo) e duas vezes ao Dr. Samuel (psiquiátra). Minha mãe usou esta mesma argumentação com o Dr. Samul; a de que ela havia melevado. Outra, minha mãe disse que nunca tinha ido ao psiquiátra, quando ela já era paciente do Dr. Samuel e meu sobrinho Marcelo também. Nestas consultas o Dr. Saumuel mandou primeiro eu mesmo analisar minha mãe, resultado ela passou a usar os apelidos que usava com meu pai, é Freud! segundo mandou eu cuidar e namorar com minha sobrinha, por que será, heim?!
3 - Minhas irmãs disseram que eu estava tendo alucinações auditivas e visuais, auditivas tudo bem, interessante é que elas sabiam exatamente o que havia falado "sozinho" no quintal de casa no outro dia, hora vejamos, se havia receptor, havia comunicação, logo não estava falando sozinho, minhas irmãs tem a audição histérica. Audições visuais, como assim?! Elas viram o que vi?! Elas entraram dentro de mim!? Ou elas estavam colando a jogada que estava no ar na televisão?!
4 - Que eu era, ou estava agressivo. Todos meus amigos sabem que sou pacífico, desde que ninguém ameaçe minha integridade física e moral.
Se eu já tinha passado por tantos médicos, fui várias vezes aos Dr Samuel, Luciano e Ruy Guilherme, sozinho, como não estava aceitando o tratamento?! que tratamento?!
5- "devido o mesmo ser apaixonado por sua sobrinha" todos meus amigos de Fortaleza sabem que a última paixão da minha vida foi a Lisandra. Vamos supor que eu estivesse mesmo apaixonado por minha sobrinha, se a afastaram de mim, eu estaria triste ou alegre, deprimido ou eufórico?!
E a minha família é o que!? eu apaixonado pela Glícia afastaram-na de mim, eu com dores no meu, eu achava até que era problema cardíaco, ou será que me envenenaram?! Pior ela esta grávida!
6 - "já passou em vários concurso, mas não se fixa em lugar nenhum" essa construção, com certeza é da minha mãe, formulada quando ela foi analisar meu currículo, o interessante foi que depois da consulta com o Dr. Samuel minha mãe, de uma hora para a outra, passou a se interessar pela minha vida pregressa. Mas para este caso tenho uma exemplo: passei em segundo lugar para fiscal do CREA,mas teria que ir para Oriximiná, e por consequência trabalhar em Óbidos. Analisei e escolhi ficar aqui mesmo em Santarém. Em Fortaleza, fui passando em colocação melhores nas seleções para professor do estado e fui abandonando as escolas para dar preferência para as mais próximas da minha casa, comecei a dar aulas em Caucai, lá deixei meu brother, Cazuza, HIstória e minha tia Adeilde, religião. Engraçado que o jogo é bem aprecido. As minhas últimas colocações eram 1º lugar, melhor nota do Ceará inteiro para professor do ensino fundamental de História, 7º Lugar para o o médio e 9º para o EJA.
7 - "atualmente desempregado" eu estava afastado por processo administrativo, processo este que nunca fui ouvido até hoje.



Relatório Caso – Mônica - Funcap


Prova da má fé, da má intenção e dos atos da Odineia, ex-diretora da Escola São Felipe na Matinha, Santarém Pará

O início do jogo!

Por que não pude escolher a minha escola?!
R: JOGO!
Por que não me deram as turmas da noite do São Felipe, do 3 do Médio e 3 da EJA?!
R: JOGO!
Por me foram negadas as aulas de História Médio, EJA, Sociologia e Filosofia a noite no
São Felipe?!
R: JOGO!
Por que me mandaram para os cafundos do Judas, no Tabocal a noite, território do DEM
(partido dos democratas)?!
R: JOGO!
R: Por que a Odneia estava com a demanda das turmas da noite na escola e ela não enviou para a 5ª Ure. O prof. Antônio continuava lotado nas turmas!


Caso da farsa da Odinéia me usou com tranpolim na eleição da Escola São Felipe


Argumentação de defesa na acusação de Calúnia e Difamação movido pela Odneia - Juizado Especial



PAD - Processo Administrativo Disciplinar da 5ª URE

- Primeiro e maior erro gravíssimo do PAD eu, réu, nunca fui notificado oficialmente do processo, nunca tive acesso a uma cópia do meu PAD e isso que eu fui várias vezes, ainda quando eu estava de afastamento preventivo, na 5ª URE pedir uma cópia do meu processo.
- Segundo erro crasso, até hoje eu não sei quem foi nomeado meu tutor! Tem noção isso, eu ainda fui considerado incapaz!
Hipótese 1 - Meu superior hierárquico, diretor da 5ª URE;
Hipótese 2 - Minha mãe
Hipótese 3 - Meu Pastor
Hipótese 4 - Meu líder de célula, Umbelino, etc.
Hipótese X – STF!?

Avaliação do Estagio probatorio




Início do Jogo lotação 5ª URE, Escola São Felipe


Quando não enxergavam a dívida, débito, era uma coisa. Manipularam um monte de pessoas.
O mais covarde foi usar as crianças e os adolescentes e não somente os da escola!
Tentaram me fazer de louco e que tudo era "alucinação" e "delírio" da minha mente!
E agora que um monte já sabe e já viu o termo de lotação, o que falta para me papaguearem o que estão me devendo na Escola São Felipe e na 5ª URE?!
Por que ainda se recusam peremptoriamente a me pagar o que me é por DIREITO LIQUIDO E CERTO?!
Quem era, ou ainda é a minha "supra-consciência", que ainda não sanou este problema jurídico?!
Esta assinado, datado e carimbado, e as provas de que as aulas foram dadas já estão anexadas ao processo.
E a prova de que subtraíram minha cadernetas da escola. O problema é que eu não assinei uma, por precaução.
Por que ele não usaram as cadernetas para comprovarem as aulas que foram dadas a noite, pois além deu lançar as notas das turmas que assumi, eu ainda terminei o lançamento das notas das turmas do professor Antônio!?
Se eu não "poderia", provar o início do jogo, no Ministério Público, da data da lotação do São Felipe na 5ª URE não passa.












FIM DO JOGO - CASO JESSICA. In: http://ojrbentes.blogspot.com/2013/06/narrativa-dos-fatos-ocorridos-na-escola.html



Por que e para que eu iria ameaçar a funcionaria Jéssica?!

Primeiro - Eu não precisava de nenhum documento da escola para comprovar a efetivação das minhas aulas do turno da noite, mesmo por que eu possui a FICHA DE LOTAÇÃO, carimbada e assinada pela Odneia e possui várias frequencias das aulas assinadas de cunho dos próprios alunos! Fui lá para resolver um problema da 5ª Ure e não meu, mesmo por que eu estava lotado com Técnico Administrativo!
Fato!
Segundo - Se quando a funcionaria retornou com o policiais eu já havia batido cópia de um dos diários das turmas da noite, com o agravante dele estar coma capa no nome do Prof. Antônio, que por sinal não deveria nem ter sido re-lotado no ano de 2009, pois não havia sido aprovado no concurso e nem possuía habilitação/formação em História, Sociologi ou Filosofia e deveria ter sido retirado da escola, por determinaçã do MP - Ministério Público de Santarém!
Para que eu iria ameaçar ela, se eu já tinha pego a cópia dos diários?! Para pegar os diários, de novo, como assim?! Tá doida?! Foi o que disse a ela e orientei que ela se calasse e só falasse na delegacia!


Ela deu incio a um processo junto ao Juizado Especial na SALJUBRA.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário